Média nominal da mandioca é a maior desde fevereiro de 2018

Foto: Vanderlei Santos/Embrapa

Mesmo com as boas condições climáticas na maior parte da última semana, que favoreceram os trabalhos no campo, a oferta de mandioca não aumentou muito, devido à baixa disponibilidade de lavouras de segundo ciclo e ao fato de que agricultores têm priorizado o plantio.

Do lado da demanda, com a diminuição no esmagamento desde o início deste mês e com parte da indústria buscando repor estoques, a procura pela matéria-prima se intensificou, conforme relatos de colaboradores do Cepea.

Assim, os preços seguiram em alta, e a média semanal (18 – 22) a prazo da tonelada de mandioca posta fecularia subiu 2,4% frente à da semana anterior, para R$ 563,35 (R$ 0,9797 por grama de amido), a maior, em termos nominais, desde fevereiro de 2018. Em valores atualizados (deflacionamento pelo IGP-DI), porém, essa média ainda está 7% menor que a do mesmo período do ano passado. Do Cepea

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: