Preços da arroba do boi seguem firme, sustentados pela demanda da China

Foto: Manuela Bergamim/Embrapa

Os preços do boi gordo oscilaram ao longo de fevereiro, mas se mantiveram acima de R$ 330,00 – Indicador CEPEA/B3, estado de São Paulo. No acumulado do mês (entre 31 de janeiro e 25 de fevereiro), o Indicador registrou ligeira queda de 0,22%, encerrando o período a R$ 343,05. Os valores seguiram sustentados pela oferta baixa de animais e pela demanda externa aquecida, sobretudo por parte da China.

Segundo pesquisadores do Cepea, esse cenário mostra que o conflito entre a Rússia e a Ucrânia não trouxe – ao menos no curto prazo – grandes impactos sobre a cadeia pecuária nacional. Apesar de a Rússia já ter se configurado como um dos maiores destinos da proteína brasileira, o país vem reduzindo as aquisições nos últimos anos.

Em 2021, a Rússia foi o oitavo maior destino da proteína brasileira, somando 35,356 mil toneladas de carne bovina, volume 40,1% inferior ao do ano anterior, de acordo com dados da Secex.

As vendas brasileiras à Rússia poderiam até voltar a se aquecer neste ano, especialmente diante da aproximação comercial entre os dois países. Agora, a maior preocupação de agentes nacionais refere-se aos fertilizantes, tendo em vista que o país é um dos maiores fornecedores deste insumo ao Brasil.

Esse cenário pode, por sua vez, elevar os custos de produção da pecuária nacional. Outro fator de influência deste conflito é sobre os preços dos grãos. A Rússia e a Ucrânia estão entre os maiores produtores mundiais de trigo e ambos têm relevância expressiva na oferta de excedentes para transações externas.

Com a guerra, os preços internacionais do trigo dispararam, influenciando também os valores de outros grãos, como milho e soja, que são muito utilizados na pecuária brasileira.

Do Cepea

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: