Encontro debate propriedades terapêuticas dos produtos de abelhas sem ferrão

Foto: Magda Cruciol/Embrapa/Divulgação

As propriedades terapêuticas de produtos elaborados a partir do mel da abelha sem ferrão serão abordadas durante as palestras do Primeiro Seminário Noroeste de Meliponicultura, que ocorrerá nos dias 29 e 30 de abril, em Horizontina (RS). Promovido pela Associação de Meliponicultores do Vale do Alto Taquari (Amevat), o evento contará com uma exposição de mais de 25 espécies de abelhas sem ferrão e degustação dos diversos tipos de méis, entre outras atividades.

A palestra dos doutores Mikhael Marques e Genna Souza, no sábado (30), terá como tema “Confecção de cosméticos, meliproduto: Propriedades terapêuticas dos produtos das abelhas sem ferrão”. Professor da pós-graduação de Fitoterapia e Plantas Medicinais da Escola de Educação Permanente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Marques apresentará estudos científicos que apontam os potenciais terapêuticos dos produtos das abelhas sem ferrão, especialmente os do pólen, como no caso o do Samburá, que é o pólen já estocado das abelhas. A própolis também será destacada.

De acordo com Marques, o mel das abelhas sem ferrão é mais líquido, fermentado e muito aromático. Ele lembra que já existem estudos científicos apontando o significativo potencial de méis e própolis como efeito antidiabético, com capacidade antimicrobiana.

Outro assunto que ele vai tratar em sua palestra é o potencial nutritivo do pão de abelha ou samburá. “E um tema que eu sempre gosto de enfatizar nas minhas aulas é a qualidade desses produtos. Então, não adianta a gente consumir um mel pasteurizado, um mel morto, que perdeu muito das suas propriedades terapêuticas, perdeu sabor e aroma. Ou não adianta usarmos uma própolis muito velha e fazer um extrato. Então é um tema que eu sempre gosto de abordar.”

Ecologia

Marques enfatiza ainda a importância das abelhas para a humanidade.  “É nesse tema que eu insiro a questão da ecologia das abelhas, da importância da manutenção desses insetos para o nosso ecossistema”, pontua, reforçando que esse evento é de importância crucial para os seres humanos. “Não somente seres que consomem os produtos das abelhas, mas para todo mundo que está na Terra e consome, por exemplo, muitas frutas, vegetais. Grande parte desses alimentos são diretamente dependentes das abelhas sem ferrão e das com ferrão também.”

A doutora em Ciências Agrárias Genna Souza, coordenadora do Setor de Meliponicultura da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, vai abordar a diversidade, pureza, métodos de colheita, manejo para produção e métodos de conservação dos compostos para garantia de qualidade para o consumo humano. “A Meliponicultura é uma atividade que está crescendo muito em todo o Brasil e quanto mais pudermos realizar eventos para divulgação, melhor será para todos os criadores e para a conservação desses polinizadores fundamentais para o equilíbrio dos ecossistemas”, ressalta.

O Primeiro Seminário Noroeste de Meliponicultura ocorrerá no CTG Carreteiros de Horizonte. Além da Amevat, o evento também é realizado pela Prefeitura Municipal e Câmara de Vereadores de Horizontina e Emater, com o apoio de MaxBem, Agptea e Agronatur. As inscrições para o seminário podem ser feitas nos dias do evento.

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: