Desastres naturais: cadastro de alertas já tem meio milhão de usuários

a _ alerta
Divulgação/MI

Meio milhão de usuários já estão cadastrados no sistema de alertas emergenciais via mensagens de celular da Defesa Civil Nacional. São moradores das 25 cidades de Santa Catarina e Paraná que participaram da fase inicial de efetivação do serviço, que foi testado durante seis meses e agora será ampliado para a Região Sudeste.

São Paulo, por exemplo, passa a receber mensagens de celular com alertas a partir da próxima quinta-feira (16). Em dezembro, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Rio Grande do Sul também passam a receber os avisos.

Para as pessoas que se cadastram, os avisos são enviados aos telefones assim que são identificadas situações de riscos que possam acarretar desastres naturais.

O cadastro é gratuito e simples: ao receber a notificação “Defesa Civil Nacional informa: novo serviço de envio de SMS gratuito com alertas de área de riscos”, a pessoa deve responder 40199 com CEP de interesse.

“Esse é um serviço inédito. Temos plena segurança de que vai ajudar a garantir às pessoas mais condições para evitar que sejam atingidas ou surpreendidas por desastres”, ressalta Élcio Barbosa, diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) do Ministério da Integração Nacional.

Novo paradigma

Após a fase inicial, o sistema recebeu alguns ajustes e o processo de envio de alertas foi aprimorado. O principal fator de efetividade do serviço é a mudança de paradigma no trabalho das defesas civis.

“Trabalhamos no país com aquilo que chamamos de alerta passivo. Ele é geralmente veiculado pela imprensa, publicado em mídia social ou em um site. A população, nesse caso, tem que ir atrás da informação e se proteger”, explica Fabiano Sousa, secretário adjunto da Defesa Civil do Estado de Santa Catarina, estado onde o sistema começou.

De acordo com ele,  a notificação de emergência via SMS, pelo celular, muda completamente a maneira recebimentos de alertas de desastre no Brasil. “A gente faz com que a população receba o alerta, a informação chega até ela. O alerta passa a ser ativo.”

Com isso, a chance de poupar vidas cresce sensivelmente. Os conteúdos dos alertas são produzidos pelo Cenad, em parceria com as defesas civis estaduais e municipais. São enviados em parceria com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e as operadoras de telefonia móvel.

Edmilson de Barros, coordenador executivo de Proteção e Defesa Civil do Paraná, usou o sistema para informar à população de 200 municípios sobre a frente fria que atingiu o estado no último dia 3 de novembro.

“O resultado foi extremamente positivo e as pessoas entenderam a sua importância”, diz. A população foi alertada precocemente sobre os possíveis eventos severos e, segundo Barros, teve tempo para optar pela melhor forma de se preparar.

Estados

O objetivo é que até março de 2018 todos os estados brasileiros sejam contemplados.

No Rio, a expectativa para a efetivação do serviço é a melhor possível. O sistema de SMS é fundamental para que a população possa responder de forma mais eficiente em situações de emergência, destaca o subsecretário de Defesa Civil do Estado do RJ, Marcelo Hess.

A Defesa Civil carioca já trabalha com um sistema de alertas para a população em áreas de risco. “Temos em torno de mil pessoas cadastradas, mas a dificuldade de cadastramento é muito grande”, revela Hess.

“O sistema do governo federal é mais simples. Será possível também fazer a importação dos nossos dados para o novo sistema. Então, isso facilitará bastante para que a gente aumente o número de pessoas cadastradas”, acrescenta Hess.

Histórico

Atualmente, mais de 20 países, entre eles Canadá, Chile, Bélgica e Filipinas contam com serviços semelhantes. O Japão começou a utilizar o alerta de desastres naturais em 2007.

Da redação, com informações do MI

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: