Projeto que beneficia 32 mil agricultores renova esperança no Semiárido

produtores projeto dom helder camara semiarido
Foto: Divulgação/Anater

Cerca de 32 mil agricultores familiares de 667 municípios do Semiárido brasileiro estão recebendo assistência técnica por meio do projeto D. Helder Câmara (PHDC). Em sua segunda fase, o projeto é voltado aos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte ,Sergipe (nordeste), Minas Gerais e Espírito Santo (sudeste).

Realizado pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) e seus parceiros, o D. Helder Câmara desenvolve ações de combate à pobreza e apoio ao desenvolvimento rural sustentável no Semiárido, desde o final de 2017. O projeto é baseado no conceito de convivência e articulado às dimensões sócio-políticas, ambientais, culturais, econômicas e tecnológicas e por processos participativos de planejamento, gestão e controle social.

A Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) é parceira da Sead na execução do projeto e coordena as ações do eixo assistência técnica e extensão rural (Ater). Somente para este eixo, o investimento é de cerca de R$ 410 milhões, recursos do governo federal repassados à Anater através da Sead, com execução das ações até abril de 2020.

O secretário especial da Sead, Jefferson Coriteac, destaca a importância da política pública para os agricultores. “A assistência técnica e extensão rural proporcionam todo o amparo e a assessoria que o agricultor familiar precisa. Como, por exemplo, saber se o solo está com qualidade necessária para o plantio, se a maneira que está sendo feito o manejo está adequada e se a comercialização está sendo feita da melhor forma. Estudos mostram que, após a assistência técnica, a produção dos agricultores aumenta de três a quatro vezes”.

O presidente da Anater, Valmisoney Moreira Jardim, explica que a agência foi criada e estruturada justamente para executar essas ações.  “É gratificante atuar em um projeto com um viés social tão grande quanto o D. Helder Câmara, se configurando como uma oportunidade de mostrar como a Ater, junto com as demais políticas públicas, é capaz de mudar para melhor a vida das pessoas e das regiões”.

Execução

Para executar o eixo Ater, a Anater estruturou uma plataforma tecnológica de gestão, que possibilita o acompanhamento e avaliação das ações do PHDC, em tempo real. De acordo com a coordenadora do projeto no âmbito da Anater, Keylly Mateus Noronha, esse sistema é fundamental para os resultados almejados.

“Com o Sistema de Gestão de Ater (SGA), à medida em que as informações são inseridas, é possível analisar o cumprimento das metas e fazer intervenções, quando necessário, para que os objetivos sejam plenamente atingidos”, observa Noronha. Essas informações também contribuem para a efetivação do cronograma de desembolso, uma vez que os recursos são liberados conforme cumprimento das metas.

Como as informações são inseridas no sistema pelo próprio extensionista, a coordenadora destaca que essa função valoriza o papel do técnico. “O extensionista tem um papel fundamental para o sucesso do projeto, não só na sua atuação efetiva junto ao produtor, mas também na alimentação do sistema, pois todo o processo se desenvolve a partir dessas informações”, avalia.

Noronha enfatiza que todos os extensionistas que integram os projetos da Anater estão passando por curso de qualificação. Esses cursos serão realizados de forma continuada, balizados nas diretrizes da Política Nacional de Ater (Pnater), que tem expresso em seus princípios conceitos de uma pedagogia dialógica e participativa.

“Tudo isso é para garantir a efetividade das ações propostas pela agência, que tem um viés no desenvolvimento comunitário, visando gerar conhecimento dentro da própria comunidade”, acrescenta Noronha.

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: