Goiás: Tecnoshow COMIGO apresenta soluções para armazenagem

A 17ª Tecnoshow COMIGO – uma das principais agroexposições do país em tecnologia rural – é mais uma oportunidade para os produtores do Centro-Oeste e de outras regiões buscarem soluções para um dos maiores problemas do agro brasileiro: a falta de locais para armazenagem. De 9 a 13 de abril, em Rio Verde (GO), eles poderão conhecer as ofertas do mercado para que possam ampliar a capacidade de armazenamento.

Uma das empresas que estarão no agrovento para apresentar opções de armazenagem é a CASP. Seu estende fica na Avenida dos Canteiros, esquina com a Rua 3. Com unidade fabril em Amparo (SP), unidades comerciais em Maringá (PR) e Itaberaí (GO) e mais de 400 colaboradores, a CASP é conhecida por oferecer soluções criativas e rentáveis aos produtores.

A CASP destaca que seus equipamentos são os únicos fabricados com tecnologia 100% nacional. No evento, informa, serão apresentadas soluções em equipamentos de recepção, limpeza, secagem, armazenagem e expedição de grãos.

Segundo a empresa, os produtos atendem agropecuaristas de todos os portes e cooperativas de café, além de milho, soja, cevada e demais grãos. Por causa do tamanho, os equipamentos não ficam em exposição.

“A falta de unidades deixa boa parte dos grãos produzidos sem armazenagem, o que significa fretes mais caros e preços mais baixos para os produtores. Consequentemente, a margem de lucro é menor”, explica Andréa Hollman, executiva principal da Unidade Armazenagem de Grãos da CASP.

Uma solução viável é a construção de silos para armazenagem nas fazendas. “A iniciativa permite manter os grãos por perto e ter controle sobre o que é produzido, permitindo comercializá-los em momentos mais rentáveis, evitando perda de dinheiro na pós-colheita”, diz a executiva da CASP.

Soluções para confinamentos

As opções de armazenamento não se restringem apenas aos agricultores, mas é indicado também para pecuaristas que investem em infraestrutura em suas propriedades, visando à terminação de bovinos em confinamento.

Quando o confinamento é de pequeno a médio porte, o produtor pode optar pelo silo fundo cônico de 60º, que armazena até 33 toneladas de ração. Acompanhado do distribuidor e dosador de ração, o abastecimento dos cochos é feito automaticamente, diminuindo tempo e custo com mão de obra.

Já em confinamentos de grande porte, o produtor tem a opção dos silos de fundo plano que armazenam grandes quantidades (acima de 70 t), elevadores (transportadores) e silos elevados que recebem e repassam a ração em menor volume para o misturador de ração ou abastecem o carrinho/distribuidor, que levará a ração até a área de trato.

 

Foto: Divulgação/CASP

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta