Ceará tem mais três focos de peste suína clássica

suinos 19
Casos foram detectados em pequenas propriedades cearenses – Lucas Cardoso/Embrapa

Mais três casos de peste suína clássica (PSC) foram detectados em pequenas propriedades no Ceará. Com isso, já são quatro os fogos registrados no território cearense (o primeiro ocorreu em Forquilha). Desta vez, a doença foi detectada em animais nos municípios de Groaíras e Santa Quitéria, no noroeste do estado, segundo a Agência de Defesa Agropecuária do Ceará (Adagri).    

Por causa das notificações, o governo do Ceará decretou estado de emergência sanitária em Groaíras e Santa Quitéria, como já havia feito em Forquilha, no início deste mês. Com a emergência, produtores dos municípios não podem receber ou vender porcos para outras cidades.

A Adagri informou também que uma força-tarefa formada por 20 técnicos está fazendo inspeção nas propriedades onde foram encontrados os focos para conter a situação e investigar as causas da contaminação.

A doença não representa riscos de saúde humana, mas pode causar grandes prejuízos aos produtores locais, como a perda de parcelas consideráveis dos animais, disse o diretor de sanidade animal da Adagri, Amorim Sobreira

“Essa doença não causa nenhum problema ao ser humano, nem o consumo da carne. Os riscos são exclusivamente para os produtores suínos. Então, esse é um problema de ordem econômica. Por isso, a Adagri juntou vários profissionais que estão nas regiões de foco e estamos investigando todos os possíveis casos dessa doença no Ceará”, disse Sobreira.

O diretor da Adagri enfatizou ainda que o governo estadual e está tomado medidas para que as pessoas não movimentem os animais contaminados para evitar que a doença se alastre e chegue em outras localidades. Segundo Sobreira, todas as propriedades onde foram encontrados os focos da peste suína são de pequeno porte.

“Já temos um perfil dessas propriedades com focos. Todas são de pequeno porte, com no máximo 200 animais, ou seja, são de subsistência. Então essas medidas servem para que as pessoas não movimentem esses animais e para conter os riscos”, reforçou Sobreira.

Da redação, com informações do G1

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta