Agro exporta mais em volume em maio, mas valor cai 1,7%

 

containeres exportacao porto paranagua appa
APPA/Divulgação

As exportações do agronegócio brasileiro somaram US$ 9,80 bilhões em maio deste ano, recuo de 1,7% em relação ao mês de 2018. A redução ocorreu principalmente por causa da queda de 9,1% do índice de preços dos produtos exportados pelo agro nacional.

Os números foram divulgados nesta quinta-feira (13) pela Secretaria de Comércio e Relações Internacionais (SCRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Segundo a SCRI, a diminuição do valor exportado só não foi maior porque o volume embarcado registrou alta de 8,1%, o que compensou, em parte, o recuo dos preços.

A participação do agronegócio na balança comercial brasileira de maio recuou de 51,6% para 46,1%. Além da queda de 1,7% no valor exportadora, o aumento de 22,5% dos embarques dos demais setores contribuiu para esse desempenho.

Saldo da balança comercial

As importações de produtos do agronegócio, por sua vez, subiram de US$ 1,08 bilhão em maio de 2018 para US$ 1,18 bilhão no mês passado. O saldo da balança comercial do agronegócio ficou em US$ 8,6 bilhões.

Os produtos agropecuários que tiveram recorde em quantidade vendidas ao exterior para o mês de maio, desde a séria histórica de 1997, foram a carne bovina e suína in natura, celulose e café verde.

As vendas externas de carne bovina in natura alcançaram 123 mil toneladas, com destaque para três mercados: Emirados Árabes (+7,8 mil toneladas), Rússia (+7,1 mil toneladas) e China (+6,2 mil toneladas).

Carne suína, produtos florestais e café

Quanto à carne suína, os casos de peste suína africana (PSA) estão causando impacto nas exportações brasileiras, conforme a SCRI/Mapa. Alguns mercados incrementaram a quantidade importada em maio: China (+7,2 mil toneladas), Rússia (+3,1 mil toneladas), Chile (+2,1 mil toneladas) e Vietnã (+1,8 mil toneladas).

O principal produto exportado pelo setor de produtos florestais foi a celulose, com recorde na quantidade exportada de 1,58 milhões de toneladas para maio. Também foi recorde o valor de US$ 859,18 milhões em celulose (+18,0%). Praticamente a metade das exportações de celulose brasileira foi adquirida pela China, que comprou US$ 413,52 milhões do produto (+52,3%) ou 784,5 mil toneladas.

O Brasil exportou US$ 438,3 milhões no setor de café (+71,7%), com forte expansão da quantidade exportada de 205 mil toneladas do grão (125%), embora os preços internacionais dos produtos do setor tenham caído, em média, 23,7%. O café verde teve incremento de 130% na quantidade embarcada, recorde para todos os meses de maio, desde 1997, totalizando 196 mil toneladas.

Da redação, com informações do Mapa

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: