Balança comercial da maçã tem saldo de US$ 6,6 milhões no acumulado do ano

maça marcelino ribeiro embrapa
Foto: Marcelino Ribeiro/Embrapa

As exportações brasileiras de maçã vêm superando as importações desde março de 2019, de acordo com dados da Secex. Com isso, a balança comercial da maçã ficou positiva no acumulado parcial do ano (janeiro a maio), em US$ 6,6 milhões. Mesmo assim, os embarques da maçã nacional neste ano estão inferiores aos do mesmo período do ano passado.

Segundo agentes consultados pelo Hortifruti/Cepea, o recuo das exportações pode estar atrelado à menor disponibilidade da variedade gala no mercado doméstico (quebra de safra) e aos maiores calibres desta temporada – como essas condições podem assegurar bons preços no Brasil, os estoques devem priorizar o mercado interno e não o externo.

Além disso, alguns países importadores têm preferência por tamanhos menores – Bangladesh, por exemplo, o principal consumidor da fruta brasileira, prefere galas miúdas. No caso das importações, barreiras fitossanitárias foram impostas à Argentina no primeiro trimestre do ano e a produção do Chile diminuiu, reduzindo as exportações desses tradicionais fornecedores ao Brasil.

Já a Itália aproveitou essa “janela” aberta e destinou quase sete vezes mais maçãs para o Brasil na parcial do ano (volume que corresponde a um terço do total exportado pelo Brasil).

Do Cepea

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: