Maior rebocador já fabricado no Brasil vai atuar no Porto de Paranaguá

rebocador-appa
Foto: Divulgação

O Porto de Paranaguá acaba de receber o maior rebocador já fabricado no Brasil. Com 32 metros de comprimento, 12 metros de largura (boca), o rebocador Starnav Sirius foi construído em Itajaí (SC) e tem capacidade para realizar manobras de atracação e desatracação de navios carregados com mais de 70 mil toneladas.

O rebocador prestará serviços aos navios que chegam e saem no Porto de Paranaguá e foi construído pela empresa brasileira Camorin, com investimento de R$ 25 milhões.

Segundo Helton Farias, representante da Camorim Serviços Marítimos, a empresa apostou em Paranaguá devido aos avanços em infraestrutura marítima, que estão permitindo a programação de navios cada vez maiores no porto paranaense.

“Acompanhamos, nos últimos anos, o crescimento do porto na movimentação de cargas e na melhoria da infraestrutura. Isso fez com que apostássemos em Paranaguá para atender as maiores embarcações que atracam na costa brasileira e que atualmente estão aqui”, disse Farias.

Ele ressaltou que para atender grandes embarcações é fundamental o suporte de rebocadores com tecnologia de ponta. “É necessário uma potência superior para rebocar navios maiores e possibilitar o aumento no escoamento da produção”, completou.

Emergências ambientais

Outra característica importante da embarcação é a possibilidade para atendimento em caso de emergências ambientais. O rebocador Starnav Sirius conta com sistema de combate a incêndio, convés preparado para uso de barreiras de contenção e tanque de água com capacidade para 105 mil litros.

“Todos os rebocadores que operam nos portos do Paraná devem ser preparados para o atendimento a emergências, dispor de equipamentos de combate a incêndio e estarem prontos para atender em caso de acidentes”, informa o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino.

Dragagem

Um dos fatores que contribuíram para que embarcações de grande porte pudessem atracar em Paranaguá foram as campanhas de dragagem. Com as novas profundidades obtidas com a dragagem de aprofundamento – 16 metros de profundidade no canal de acesso externo (áreas Alfa) e entre 15 e 14 metros, nos canais de acesso interno (áreas Bravo 1 e Bravo 2) –, o Porto está recebendo os maiores navios do mundo, com cerca de 368 metros, explica o diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

“O Porto de Paranaguá está com canais e berços dragados e preparados para receber embarcações cada vez mais imponentes e carregadas de mercadorias. Toda a estrutura de apoio, de prestadores de serviço à operação portuária, também deve acompanhar esta evolução”, afirma Dividino.

Com o aumento da profundidade em 1,5 m nos berços, cada navio que atraca no Porto de Paranaguá poderá embarcar até 10,5 mil toneladas a mais. Isso representa um aumento mensal, apenas no Corredor de Exportação, de 315 mil toneladas de grãos. Já no Terminal de Contêineres, onde os berços ganharão mais 1,5 m de profundidade, o ganho será na possibilidade de carregar até 1.050 contêineres por navio.

Da redação, com Agência Estadual de Notícias do PR

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: