80% dos produtores artesanais recomendam atividade para quem quer entrar no setor

produtores artesanais
Foto: CNA/Divulgação

Mais de 80% dos produtores de alimentos artesanais e tradicionais recomendam a atividade para quem ainda não está no segmento. Esta é uma das conclusões da pesquisa sobre produção e a venda de alimentos artesanais realizada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

A superintendente técnica adjunta da CNA, Natália Fernandes, apresentou o resultado do levantamento durante o “Seminário Agro em Questão – Alimentos Artesanais e Tradicionais”, realizado na sede da entidade, em Brasília.

“Por mais que seja um setor que enfrente muitos desafios, os produtores acreditam no potencial de crescimento e recomendam a atividade para outros produtores”, disse Natália, nessa quarta-feira (6).

Entre os meses de abril e junho, a CNA disponibilizou um formulário online com 30 perguntas relacionadas ao perfil da propriedade, tipo de alimento, características de produção e comercialização, capacitação, anseios e percepções.

A pesquisa constatou que 64% são produtores artesanais e 38% ainda não trabalham com esses produtos, mas têm interesse em produzir esses alimentos.

“Identificamos que está crescendo a busca por esses produtos. Por isso, temos interesse em conhecer a realidade desses produtores para nos aprofundarmos no assunto”, destacou Natália.

A maior parte dos produtores pesquisados está no Sudeste, com 35,5%, seguida pelas regiões Centro-Oeste, Norte e Sul. São produtores principalmente de queijos, geleias e compotas. Os participantes que responderam à pesquisa também produzem licor, café, defumados e polpa de frutas.

Quando perguntados sobre capacitações, 61% responderam que fizeram preparação para trabalhar de forma artesanal. Os tipos de cursos mais citados foram: boas práticas, processamento, produção e manipulação de alimentos e tecnologia de leite.

A grande maioria utiliza a mão-de-obra familiar na produção, segundo 82% dos pesquisados. Deste total, 40% utilizam em médias duas pessoas da família e 53% não têm mão-de-obra contratada.

Quanto à comercialização, a grande maioria é realizada por encomenda (74%), enquanto 57% dos itens são vendidos em feira livre, seguidos por venda direta na propriedade (48%), internet (29%) e supermercados (24%).

De acordo com a superintendente técnica adjunta da CNA, os dados gerados na pesquisa possibilitarão o início de um trabalho para fortalecer o setor de produção artesanal e tradicional. “Além disso, a realização do seminário servirá para encontrarmos outros motivos para trabalhar em prol do desenvolvimento da produção desses alimentos”, observou.

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: